A aldeia

O ponto de partida é a aldeia serrana de Sistelo, pertencente ao concelho de Arcos de Valdevez, localizada num dos bordos do Parque Nacional Peneda-Gerês, parte integrante da reserva da Biosfera Gerês-Xúres, agora (2017) Sítio de Interesse Nacional /Paisagem Monumento / Património Evolutivo-Vivo e pré-finalista das 7 maravilhas de Portugal na categoria Aldeia Rurais.

E Sistelo é ruralidade, é uma aldeia que tem sido suportada sobretudo pela atividade agro-pecuária numa economia local baseada em explorações de caráter familiar e sistemas tradicionais de produção que com a sua especificidade a caracterizam.

Apesar do seu potencial agrossilvopastoril e turístico (atributos e qualidades como a biodiversidade, ecossistemas particulares, paisagens humanizadas e modos de povoamento, sítios históricos, tradições seculares, manifestações ancestrais) as reduzidas oportunidades de emprego e as condições pouco atrativas para a fixação de jovens têm contribuído para o seu abandono e para o envelhecimento da população o que, se não for contrariado, poderá levar a perda de património cultural e ambiental, de paisagem, de biodiversidade, à invasão por matos e ao fogo e consequente progressiva descaracterização.

Sistelo, inclui várias aldeias ou lugares nomeadamente Igreja, Padrão, Porto Cova, Alvite, Estrica e Quebrada e numerosas brandas, entre as quais, Ricôvo, Baraçal, Rebordo Chão, Alhal, Gêmeas, Crastibô e Furado. Por cá, a viagem no tempo é quase inevitável e ainda é possível desfrutar do mosaico de paisagens, moldado pela relação Homem-Ambiente potenciadora da biodiversidade. A relação das ancestrais brandas, da consociação milho-feijão tarreste, dos socalcos estreitos montanha acima, das levadas, das vezeiras de rés bravia e churra, do gado cacheno e barrosão, das burras garranas, dos medeiros, das medeiras e canastros/espigueiros, dos pastores e das transumâncias sazonais.

ó minha terra Sistelo
ai que linda que tu és
não há outra como tu
és a mãe do rio Vez